Bem-vindos à CASA DE AMIGOS!

Dou as boa-vindas a todos e faço votos de boas leituras!

A princípio esse era um blog para que eu divulgasse meus poemas e textos. Hoje não sei mais... Talvez, junto comigo, ele tenha se transformado e essa "Casa de Amigos" venha a se tornar não só lar dos meus delírios como também de meus desabafos...

Acompanhem também os textos no Arquivo do Blog (disponível no lado esquerdo da página)...

Comentários são sempre bem-vindos!

Páginas

sábado, 25 de dezembro de 2010

Marido Lindo




Dedicado a Jorge Copeiro.

O que dizer?

Não há palavras que expressem
o que sinto por você!
Por isso,
Posso apenas dizer
TE AMO, TE AMO
Sem jamais cessar...

Sei que versos bobos
podem, às vezes, até rimar;
mas são tolos versos
cheios de amor compresso
para te falar
TE AMO, sempre
de seu lado quero estar!!

Moraria comigo? Casaria comigo?
Venha, venha
o meu chamado atender
e nossa jovem família, juntos
ver envelhecer
coisa que só a glória do amor
cria dom felicidade e ardor.

TE AMO!

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Amor & Sexo...



Sexo!
Sexo intenso,
sexo insano.
Sexo!
Sexo calmo,
sexo fato,
sexo amado!
Sexo...

Amor,
Amor carinho,
amor amigo
Amor!
Amor intenso,
amor construído,
amor de tempo
Amor!
Amor inocente,
amor apaixonado,
amor enlouquente
Amor...

Sexo é sexo, amor é amor!
Por quê?
Não há nexo, não há veto
existe sexo que não é sexo
existe amor que não é amor.
Tem amor que é sexo
e tem sexo que é amor.

Não há definições,
não há prerrogações.
Não há só sexo
não há só amor.
Há amor e sexo
e há muito mais!

Tolo, tolinho amor...



Dedicado a um amor inocente, contraído...

Tolinho, tolinho meu
ou será que o tolo sou eu?!
Não sei dizer, boms eria
se o tolo fosse o "eu e você"...

Tolice sua em buscar
tolice minha em não te contar
tolice nossa pois, talvez, juntos deveríamos estar.

Medo, medo muito
desse teu pensar...
Ciúmes, ciúmes bobo
que a outro venha a amar.

Ainda sim, amigos sinceros
sem nexos, feito amantes trouxas
a, quem sabe, se gostar...

Não nego meu sentir.
Não nego meu pensar,
meu cúmes, meu desejar...
Mas é fato a amizade
que não vou por a entregar
somente se recíproco esse
tolo amor
vingará!

Sequestro seu!



Dedicado a Jorge Copeiro...

Era como se fosse um vazio
e vazio de fato era.
Não pela negatividade de seu ser,
mas pela multiplicidade de seu conhecer.

Pouco sabia daquele momento vago
era como um sapo, leve a esperar...
Pois pouco tempo depois descobri
no vazio daquele encontro
vieram verdades que aliemntam meu ego,
veio amor inocente em meu veto.

Ora, pois, deixei estar,
você me levar...
E, veja agora,
cá estou: sequestrado pelo seu olhar,
que mesmo distante e,
sem recordar, sem ver
sinto me buscar.
Sou agora parte desse amor
escravo desse nosso "sonhar"!

sábado, 3 de abril de 2010

Seu "jeito malandro"


Dedicado a Gil Antunes... 

Eu fui me apaixonando,
Me complexando...
Fui deixando estar e fui indo
Flutuando nesse mar.
Mas, se algo em mim marcou,
Foi esse jeito malando
Expressivo, que, em seu olhar,
Se desloca.

É nesse jeito meio tímido
Meio malandro
Que fui embalado.
Nesse sorriso chamativo
Como as preces ao diabo
E a promessa do paraíso.
É ambíguo, mas positivo
É um jeito sutil, descontraído...
É algo fora do comum
É sedução desmedida
Compulsoriamente cedida.

Jeito alegre, extrovertido
Como “pivetagens” em várias
Dessas suas malandrices...
Essa timidez sincera,
Alimentada pela cortesia;
Rebeldia que te exaspera...

Uou! Doce veneno, doce!
É de amedrontar santos
Nesse seu jeito posto e, talvez, pensado...
Não vou indo além,
Não! Sou humano, fraco às tentações,
Às suas tentações.

Se sou vampiro, já condenado,
Tu és o sangue que arrebato!

Nesse seu jeito malandro de ser
Perco-me em teu olhar,
Tua boca, teu sorriso...
Ah!... e que sorriso!
Perco-me loucamente
No doce veneno que é você...


D’Artagnan Abdias.

terça-feira, 30 de março de 2010

Sorriso



Dedicado a Gil Antunes...

Tudo era aquela noite escura,
embalada pelo medo.
Nas trevas que me rondavam,
meu sorriso se foi cedo...

Foi em um ato mágico
que roguei à Deusa,
aquela mão singela
que é toda a Natureza...

E, nesse ato mágico,
clamei, em sonhos,
"Desejo apenas, novamente, sorrir!"

E, foi em um dia ameno
que, meus olhos,
sorriram para ti!


D'Artagnan Abdias.

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Salgueiro chor�o...


Dedicado a todas as bruxas e os bruxos que honram esse t�tulo! (iculisve a mim hehe).

Se me perguntardes quem sou,
responder-te-ei:
Salgueiro chor�o,
aquele que traz fertilidade ao solo
e d� a magia
aos homens de bom cora�o.

Sou o certeiro vento do norte
que se alia ao convidativo vento do leste.
Sou o calor do fogo
e tamb�m o gelo da terra.

Sou quem sou,
e n�o mais sou do que o que sou!
Sou os caminhos que se cruzam
o destino e a miss�o certa.
Sou o sangue do rio
e a seiva bruca que o alimenta...

Sou a terra em seus revezes.
Sou a certeira vida
que a morte desafia.
Sou o brilho do luar na noite escura,
a sombra da nuvem em c�u aberto.
Sou o poder que se levanta,
o temporal que se propaga,
sou a chuva que cai.

N�o sou treva nem luz,
sou o que te inebria,
o que te choca!
Sou tua paralisa�o,
teu poder, tua miss�o!
N�o sou, se n�o aquilo que sou...

Sou simplesmente a imperfei�o
que, na verdade, tudo �...
Sou a miss�o e destino
que se anda a p�!
Sou a terra antiga e a virtude do novo...
Sou apenas Brixton,
do celta: bruxa(o), o brilho, que se cont�m!

D�Artagnan Abdias.

sábado, 16 de janeiro de 2010

Amigos Amantes

Dedicado a Marquinhos Lima.

Um sol que brilha onipotente
Geralmente esconde segredos,
Outrora latentes...
Uma lua que desfruta os c�us
� rainha soberba, mas tamb�m,
Dama com v�u...

N�o existe, pois, dire�o certa:
O dual e a vida s�o
Estradas, vezes, entreabertas.

O segredo n�o � por�m, a raz�o
E sim, aquela pitada doce
Embriagada pela emo�o.
� amizade solene de amantes
Que sabem o segredo do amor:
N�o � ent�o, a palavra
De vulga conota�o;
Mas amantes verdadeiros,
Amigos realmente companheiros
Pois, da origem, s�o do amor.

Mist�rios ao encontro a zelar.
Amigos hoje, que crescem,
Juntos, ao c�u estrelar...
Palavras latentes guardam
Segredos doces embalados
A sacos simples de soberba
E cheios de doa�o.
Amigos que sabem se dar as m�os.

Amigo amante meu, �s doce
De n�ctar e ambrosia.
�s jovem de imortal ousadia...
Tua sabedoria � crescente
Tua raz�o, prudente.
Tens amos e verdade
E sabe viver a vida
Em completa liberdade.

De raz�o a perder no tempo,
Tu �s alma necess�ria
Mundo a dentro.
E n�s, eternos amigos a compor
Um destino nosso, superando a dor.
Minha honra � ent�o, esta:
Tua amizade e amor que me enriquecem.
Sempre avante:
Amante aspirante!

D�Artagnan Abdias.